Inicio | Apresentação | Programação | Mini-Cursos | Oficinas |Simpósios Temáticos

Voltar

Simpósio Temático 01
Título: Memória, História e Educação Patrimonial
Proponentes: Esp. Ane Luíse Silva Mendes (UFPB) - Ms. Magno Francisco de Jesus (UFPB)

Resumos:

 

Autor: Renato Alcântara de Abreu
EDUCAÇÃO PATRIMONIAL COMO AGENTE DE CONSCIENTIZAÇÃO: A FERROVIA E O PATRIMÔNIO CULTURAL

A construção da identidade cultural é traçada a partir da dinâmica do ensino-aprendizagem. A busca pela valorização de uma educação patrimonial através do ensino de história se faz necessário na sociedade atual, pois a importância ao analisar que o aprendizado não possa se reduzir a decorar datas e nomes, e sim propondo que o aluno olhe para o passado através da História, porém, com novos olhos. E a memória coletiva é uma das maiores garantias de nossa identidade cultural e que por conseqüência a Educação Patrimonial e a história cultural se completem, procurando inserir a ferrovia enquanto identidade. O caminho que nos permitiria a assimilação de conhecimentos referentes às monumentos que caracterizam determinado local as quais estamos inseridos seria possibilitado através das noções de espaço e tempo juntos com o conceito de cultura sendo essencial uma análise, de maneira mais profunda do que aquela que aparece em alguns livros didáticos por meio de mecanismos de mudança propiciados pelo processo educacional, oportunizando o eixo da educação patrimonial. Entendendo que a Educação Patrimonial permite ao indivíduo fazer à leitura do mundo que o cerca, no caso a ferrovia e seu patrimônio cultural, atentando-se que a preservação e o estudo dos bens materiais buscam apreender que a identidade cultural deve se preparar para a formação de seres humanos que sejam capazes de conhecer a sua própria história, além de estimular a prática da reflexão e conscientização histórica. Nesse sentido, o ensino de história possibilita, desde as primeiras fases do processo de aprendizado, a apreensão das noções de cidadania e responsabilidade social, logo o processo de constituição da personalidade de cada indivíduo. Nesse contexto, a cultura é um espaço privilegiado que nos permite, de forma crítica, trabalhar nos contrastes, nas diferenças para possibilitar aos sujeitos desse processo rever-se, e nesses espelhos se entenderem individual e coletivamente. Também se busca uma política cultural, onde se faça meios de transformação. Não é u m processo de contemplação ou de afirmação de uma situação dada, mas de enfrentamento: é a criação de espaços sociais de construção de cidadania, de participação, de libertação. O principal objetivo da educação responsável deve se basear no empenho em auxiliar os estudantes na elaboração do conhecimento histórico, na investigação da realidade, refletindo a respeito de sua ligação com um passado mais distante, buscando compreender a historicidade das representações culturais, ou seja, um ensino de história voltado para sujeitos históricos devendo propiciar um conhecimento mais amplo da realidade em que vivem, percebendo através dos monumentos e dos documentos. Portanto a ferrovia se encaixa em um exemplo de historicidade capaz de reflexão, passível da construção de identidade, visto os espaços produzidos. Dessa forma, somente quando o trabalho do estudante é planejado, organizado e dirigido, como um exercício de aprendizagem, dentro de uma situação real de ensino-apredizagem, é que a prática de ensino se torna funcional.


Autor: Anderson Feliciano Venâncio
Orientadora: Maria Telvira da Conceição

MEMÓRIA E PATRIMONIO: AS POLÍTICAS DE SALVAGUARDA DOS BENS HISTÓRICO-CULTURAIS NO CARIRI NO PERÍODO DE 2000-2008

A presente pesquisa de inciação cientifica pretende traçar um perfil das políticas de salvaguarda no Cariri abrangendo 5 Municípios, Assaré, Crato, Barbalha, Juazeiro do Norte e Nova Olinda. Focados no patrimônio histórico cultural no período de 2000 a 2008, a partir da atuação das instituições de memória local. Buscando identificar as contribuições das instituições de memória do Cariri para a salvaguarda dos bens culturais materiais e imateriais no período de 2000 a 2008; Mapeando as ações de salvaguarda voltadas para o Patrimônio histórico-cultural desenvolvidas pelas Instituições de Memória do Cariri. Desta forma, identificar os desafios e possibilidades para uma intervenção institucional de salvaguarda no Cariri, no âmbito do Patrimônio histórico-cultural, a partir da atuação das instituições de memória. A fase inicial da presente pesquisa foi dividida em três etapas. Na primeira, o mapeamento das ações de salvaguarda das instituições objeto da pesquisa. Na segunda, aplicação de instrumentais a través de informantes orais nas instituições objeto do estudo. Na terceira, Sistematização e elaboração do Relatório final. Através do presente trabalho é possível apontar aspectos da preocupação da política de salvaguarda no seu perfil educacional. A possibilidade de apontar os desafios que as instituições encontram nas políticas de salvaguarda desenvolvidas no Cariri, no âmbito das instituições de Memória. Além do perfil desse tipo de intervenção institucional no contexto do Cariri. Assim construindo novas fontes documentais (escrito, visual e áudio-visual) para traçar o perfil das políticas de salvaguarda do patrimônio histórico-cultural no Cariri, no período de 2000 a 2008, através dos instrumentais aplicados nas intuições de memória.
Palavras-Chaves: História, Memória, Patrimonio.


Autor: Anderson Feliciano Venâncio

LOCAIS DE MEMÓRIA E A SOCIEDADE CARIRIENSE: UM CONJUNTO DE ELEMENTOS HISTÓRICOS–CULTURAIS NA CONSTRUÇÃO DE UMA “IDENTIDADE”

O crescente debate referente ao patrimônio, e suas implicações na sociedade contemporânea, exige que se voltem os olhos para o assunto. É essencial que se encontre preparado para lidar com a ampla e complexa discussão que envolve a salvaguarda da memória através do patrimônio, que abrange desde interesses sociais até questões políticas e econômicas. Pretende-se apresentar nesse estudo noções básicas necessárias para compreender o desenvolvimento de uma “identidade” com o patrimônio material e da consciência patrimonial além das diversas questões que tangenciam da problemática da preservação do patrimônio e de sua representação na vida social das pessoas que o rodeiam. Elegemos como exemplo a Escola Moreira de Sousa, objeto principal desse estudo, buscando apresentar uma reflexão histórica-cultural dos envolvidos com a instituição de ensino. Buscando apresentar um embasamento técnico e teórico das questões que rodam o patrimônio local e a história que o mesmo esta/esteve envolvido ao longo de sua existência, procurando sua proximidade dos sujeitos, para que se possa compreender e aplicar com maior sucesso a reflexão proposta nesse estudo. Pois o patrimônio é uma expressão de cultura e de identidade, do conhecimento e da valorização dos bens culturais que contribuem com o despertar da cidadania que se expressam na história e na tradição local e regional.

Palavras-Chaves: História, Memória, Patrimonio.

 

Autor: Cícero Arlindo dos Santos
Orientador: Océlio Teixeira

A HISTÓRIA DO REI DE CONGO EM ARARIPE

Este trabalho de pesquisa foi elaborado a partir da perspectiva do titular da disciplina de Laboratório II, do 5º Semestre do curso de História, do período noturno, da Universidade Regional do Cariri-URCA, da Turma 2006.2, Professor Océlio Teixeira. Convergindo com os autores do programa da referida disciplina, a exemplo do historiador Ricardo Oriá, o professor Océlio nos orientou no sentido de trabalhar temáticas relacionadas à pesquisa do Patrimônio Histórico cultural. A História do Rei de Congo em Araripe faz parte do resgate e manutenção da memória do patrimônio imaterial. Assim sendo, caminha das feições da oralidade para a forma de um registro escrito, com pressupostos científicos, com maior chance de durabilidade para as gerações subsequentes. Foram utilizadas fontes orais, escritas, fotografias, Internet Explorer, e interpretados com a ajuda de um material bibliográfico resumido, dada ao pouco material encontrado. A leitura de Arthur Ramos (2007) foi o meu referencial teórico de partida para poder fazer uma análise do material coletado. Após a pesquisa ficou constatado que a cultura do Rei de Congo no município de Araripe, Ceará, é oriunda da influência da cultura africana, que adentrou no Brasil no período colonial. Vários aspectos de vital importância foram localizados no final da pesquisa. As origens do Rei de Congo, suas adaptações no Brasil, suas ramificações no interior do país, as pessoas envolvidas no rito, e de como a comunidade de Araripe assimilou essas práticas culturais. No final foi possível enxergar vários fatores, ou seja, de identidade da comunidade com seus antepassados, de sociabilidade entre o povo, em fim, do movimento de pertença da comunidade na prática do rito. Se não foi possível abarcar toda a História do Rei de Congo do Araripe, dada as dificuldades da própria prática historiográfica, foi possível fazer um registro daquilo que foi encontrado e que servirá de identidade para as gerações presentes e futuras daquela comunidade.


Autores: Adriana de Freitas; Míriam Lívia; Susiane Alencar; Tamyly Carla; Ossian Soares Landim

Patrimônio Histórico Cultural

O objetivo do trabalho é analisar simultaneamente o uso e preservação do patrimônio cultural, frente a elos visíveis que unem o passado com o presente, quando ao defender a não homogeneidade e a não neutralidade do espaço e do tempo, mostra que até a existência mais dessacralizada, tal como a das sociedades modernas conserva ainda os traços de uma valorização fincada em locais privilegiados, qualitativamente diferentes. Chama-se a atenção aqui de uma construção que se mantêm de uma geração à outra, e sob as mãos dos homens, resgata o passado trazendo consigo um índice misterioso, que impele à redenção. Dar-se aqui a devida consideração, os lugares da memória, que nascem e vivem do sentimento de que não há memória espontânea, que é preciso criar arquivos, que é preciso manter, organizar, pronunciar, notariar, porque essas operações não são naturais, limitando-se a construção humana e perdurando por toda uma vida, enquanto se preservar.

 

Autores: Ana Paula Ferreira de Brito; Francisco Sales Galdêncio

Educação Patrimonial: Um desafio á ser superado

A educação é um desafio por si só, e a patrimonial se estende a cada dia em maior proporção. São vários os motivos que conduzem a este déficit na consciência das pessoas. Entre os principais podemos citar a carência de discussões patrimoniais, o valor turístico que na maioria dos casos supera o histórico, a história dos vencedores que ascende sobre a dos vencidos, fazendo com que a maioria da população não se reconheça nos diversos patrimônios. Assim esta comunicação objetiva analisar e discutir tais motivos e causas e suas conseqüentes alternativas, de forma teórica a medida que analisa os motivos de forma material, e prática a medida que analisa os efeitos.

PALAVRAS CHAVES: Consciência, educação patrimonial, discussão.