Inicio | Apresentação | Programação | Mini-Cursos | Oficinas |Simpósios Temáticos

Voltar


Simpósio Temático 03
Título: Páginas da História: Sociedade e jornais no Cariri cearense.
Proponente: Maria Daniele Alves (UECE) - Jucieldo Ferreira Alexandre (UFPB)

Resumos:

 

Autor: Jucieldo Ferreira Alexandre
Páginas empesteadas: o cólera representado pelo jornal O Araripe (1855-1864)


A partir dos estudos dedicados à História das Doenças, pretendemos, nesse trabalho, analisar as múltiplas representações socioculturais sobre o cólera engendradas pela publicação do jornal O Araripe. O semanário, publicado no Crato/CE, entre os anos de 1855 a 1865, foi contemporâneo a um processo de ascensão econômica e política e a uma incipiente urbanização da cidade em questão. Jornal ligado aos comerciantes e profissionais liberais da localidade e sintonizado com as idéias do Partido Liberal, deu amplo espaço em suas páginas ao desenrolar da epidemia do cólera, que percorria o território brasileiro em meados do século XIX. Ao tratar do cólera, O Araripe mesclava de forma criativa preceitos profiláticos em voga entre médicos, com práticas religiosas e saberes populares, demonstrando assim o caleidoscópio de olhares com que a doença foi apreendida.

Autor: Pedro Henrique Lessa Torres
Orientador: Edgar Leite

A estratégia política do Correio da Manhã na campanha presidencial de 1922: Considerações teóricas e metodológicas

Durante a campanha presidencial de 1922, a sociedade se dividiu entre a candidatura de Nilo Peçanha e a de Arthur Bernardes. O mesmo aconteceu no campo da imprensa. Desta maneira, tivemos vários órgãos de imprensa defendendo radicalmente o seu candidato preferido sob os mais variados argumentos. No âmbito deste conflito destaca-se o Correio da Manhã que lançou uma ampla campanha, desde 1921, com o objetivo explícito de destruir a candidatura de Arthur Bernardes. Visando compreender a estratégia deste periódico utilizamos diversos recursos teóricos-metodológicos cuja análise oferece subsídios para o trabalho com a imprensa dentro da historiografia. Especificamente estes recursos são: o método de abordagem dos campos semânticos, o conceito de agendamento,a análise do discurso, o conceito de enquadramento e a noção de espiral de silêncio.