Inicio | Apresentação | Programação | Mini-Cursos | Oficinas |Simpósios Temáticos

Voltar


Simpósio Temático 09
Título: O século XIX: História e Historiografia brasileiras.
Proponente: Prof. Ms. Darlan de Oliveira Reis Junior (URCA)

Resumos:

 

Autores: Lucas Santos
Orientador: Reinaldo Forte Carvalho

A família escrava na Vila de Milagres – 1875 a 1888.


ESTA PESQUISA TEM COMO OBJETIVO ANALISAR O PAPEL DA FAMILIA ESCRAVA PARA O SISTEMA ESCRAVISTA NA ENTÃO VILA DE MILAGRES, O PERIODO PESQUISADO É DE 1875 A 1888, MESMO SABENDO QUE O GOVERNO PROVINCIAL PROCLAMOU QUE NA PROVINCIA DO CEARÁ A ESCRAVIDÃO FOI EXTINTA EM 1884 E A VILA DE MILAGRES FICOU CONHECIDA COMO A ULTIMA A ABOLIR OS SEUS. A HISTORIOGRAFIA TRADICIONAL COLOCA COMO INESISTENTE A FORMAÇÃO DE FAMILIAS COM ESCRAVOS, ENTRETANTO NOS ULTIMOS ANOS NOVAS PESQUISAS E DOCUMENTOS DA ÉPOCA MOSTRAM QUE HOUVE SIM A FORMAÇÃO DE FAMILIAS ESCRAVAS, QUE EM SUA MAIORIA SÃO UM POUCO DIFERENTE DA IMPOSIÇÃO FEITA PELA IGREJA E PRECEITOS MORAIS DA SOCIEDADE DA EPOCA E QUE A FAMILIA ESCRAVA TEM COMO CARACTERISTICA SER MATRIARCAL,TORNADO A MÃE O ELO DE ENCONTRO FAMILIAR.OUTRA CARACTERISTICA DA FAMILIA ESCRAVA É POR SER UMA INSTITUIÇÃO FRACA E QUE EM MUITOS CASOS ENCONTRA-SE SEPARADA, MAS QUE CONSTITUIA-SE EM IMPORTANTE ANTEPARO CONTRA OS RIGORES DA ESCRAVIDÃO E UM IMPORTANTE MECANISMO DE SOBREVIVENCIA. ANALISAREMOS TAMBEM O PAPEL DO APADRINHAMENTO DOS FILHOS DE ESCRAVOS COMO UMA RELAÇÃO DE PODER E DEPENDENCIA ENTRE SENHOR E ESCRAVO. UTILIZAREMOS COMO FONTE, INVENTÁRIOS, ARROLAMENTOS, BATISTÉRIOS E ATAS DA CAMARA, ESTA DOCUMENTAÇÃO ENCONTRA-SE NO APEC EM FORTALEZA MENOS OS BATISTERIOS QUE ENCONTRAM-SE NA SECRETARIA PAROQUIAL DA IGREJA CATOLICA DO MUNICIPIO DE MILAGRES.


Autora: Iris Mariano Tavares
Orientador: Darlan de Oliveira Reis Junior

Tratos ilícitos e filhos ilegítimos na cidade do Crato, 1870-1899


As uniões consensuais, mais conhecidas como tratos ilícitos, não eram sacramentadas pelo matrimônio nem reconhecidas pela legislação imperial. A pesquisa tem por objeto, os tratos ilícitos e os filhos nascidos dessas uniões, na cidade do Crato, nas três últimas décadas do século XIX. Como a Igreja Católica e o Estado Imperial reagiram frente a esse fenômeno; a que classe se restringia a bastardia; e qual o nível de aceitação dos filhos ilegítimos por parte das famílias cratenses, são questões a serem verificadas. Para tanto, as fontes utilizadas são livros de casamento, livros de batismo e testamentos do período.

Autores: Cícero da Silva Oliveira
Orientador:Danilo Linard
O TEMPO E OS SONHOS: UMA LEITURA SOBRE UTOPIAS NAS CONCEPÇÕES HISTÓRICAS DO SÉCULO XIX


No século XIX, as obras de Hegel, Comte e Marx revelaram que seus autores, cada um a sua maneira, julgavam ter encontrado o sentido da história. Haveria um futuro onde a sociedade venceria as crises costumeiras e reinaria, finalmente, uma harmonia nunca antes conhecida. Procuramos, neste trabalho, colocar em discussão como Hegel, Marx e o próprio Comte, partindo de uma base repleta de pressupostos filosóficos se propuseram a abordar o processo histórico e suas transformações sob o signo da revolução e da utopia, Pretendemos ver como a aproximação da filosofia com a história se configurou nesses autores em particular e quais as implicações que essa união gerou para a análise do processo histórico, problematizando tal relação a partir da presença, em cada autor analisado, de utopias como pressuposto básico para compreensão desse processo enquanto tal.

Autora: Leide Laura Almeida dos Santos
Orientadora: Maria Telvira da Conceição

A vida privada da população negra no Crato do século XIX

A pesquisa em andamento trata de um estudo acerca do negro no século XIX e tem como objetivo compreender os aspectos cotidianos da presença desse grupo étnico na sociedade cratense, especificamente no período que vai de 1849-1859. A partir de um referencial teórico da denominada história social e de autores que discutem a problemática do negro na História do Brasil e suas relações étnicosociais, o estudo em desenvolvimento utiliza como metodologia principal a análise das fontes primárias, tais como registros de óbitos, de casamentos e de batismos que estão em processo de mapeamento e transcrição.