Inicio | Apresentação | Programação | Mini-Cursos | Oficinas |Simpósios Temáticos

Voltar


Simpósio Temático 13
Título: História e Subjetividades
Proponentes: Profa. Ms. Josinete Lopes de Souza (URCA); Profa. Ms. Fatiana Carla Araújo.

Resumos:

 

Autor: Williame Araújo Oliveira Alencar
Homoafetividade e educação: repensando os parâmetros educacionais numa perspectiva de uma história dos excluídos


Busca-se nessa pesquisa levantar questionamentos sobre a ausência da história dos homoafetivos – produzidos nas academias – como conteúdo nos livros didáticos, como também, as praticas homofóbicas (caracterizadas por agressões físicas e verbais) para com os adolescentes homoafetivos, por parte dos colegas de sala. Questionar também a ação dos professores ao falar sobre a homossexualidade ou excluir esse assunto , quando se trata de aula sobre sexualidade, assim como a sua postura em relação aos atos de homofobia ocorridas na sala de aula. As reflexões e analises sobre as entrevistas realizadas serão embasadas, principalmente, por Foucault e Freud, entre outros autores importantes para o estudo da homossexualidade.
Palavras-chave: História dos homoafetivos, homofobia na escola, parâmetros educacionais.


Autor: Marcus Vinícius Santana Lima
Charles Bukowski: um historiador das bebidas na literatura


Propomos neste trabalho refletir o valor histórico que os bares e bêbados possuem ao protagonizarem a obra literária de Charles Bukowski, bem como enfatizar a Literatura enquanto campo de investigação e método historiográfico. Tais personagens pouco figuraram como indivíduos importantes para o estudo histórico, significando sua marginalização diante da historiografia "oficial" e uma desvalorização do bar enquanto espaço de relações. As fontes usadas para a produção do trabalho consistirá nas obras cujas estruturas sejam de romance, conto ou novela.


Autores: Felipe Richard Alves Ferreira da Silva; Edcarlos Fernandes de Araújo Almeida
Retratos do corpo: a sexualidade na produção pornográfica da região do Cariri (2000 - 2008)


A pesquisa tem como objetivo geral analisar as práticas sexuais expressas na produção pornográfica local, em especial nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte. As questões mais específicas que compõem a proposta principal do trabalho relaciona-se a tentativa de definir os comportamentos sexuais a partir do estudo daquilo que é considerado no presente trabalho uma forma de representação e de possibilidade de acesso a uma história do corpo na contemporaneidade, ou seja, uma investigação com ênfase nos registros fotográficos, imagens pornográficas que tragam à tona os novos contornos, traços que recortam os corpos e os revestem de novos significados. A obra pornográfica não será tomada enquanto unicamente constituída por uma película audiovisual a sua identificação como completa só será possível com a investigação das múltiplas formas da mesma ser consumida, apropriada e re-significada.

Autor: Carlos César Pereira de Sousa
A psicologia social das emoções do escravo descritas nos anúncios de jornais brasileiros do século XIX.


A partir da análise e interpretação de um conjunto de anúncios relativos à fuga, venda e aluguel de escravos publicadas nos jornais brasileiros do século XIX, procurou-se esboçar um estudo sobre as emoções do escravo descritas nesses jornais ao lado de informações sobre etnia, aparência, defeitos físicos e fala. No presente trabalho procura-se fazer uma reflexão sobre a percepção que a sociedade brasileira da época tinha dos caracteres subjetivos dos escravos, num período em que a sensibilidade romântica e os princípios humanísticos e altruístas do liberalismo começavam a exercer uma influência decisiva na formação da mentalidade da elite nacional. O estudo dessas descrições das emoções do escravo como estão expressas nos anúncios, possibilitará a compreensão da relação subjetiva entre o senhor e o escravo no período imediatamente anterior ao início da campanha abolicionista.


Autores: Veriane de Alencar Frutuoso; Carlos César Ferreira de Sousa
“ Flor de pecado” um estudo da sexualidade das escravos nos meados do séculos XIX


Este é um trabalho que pretende esboçar um estudo sobre os contatos sexuais entre as escravas e seus senhores no meio rural e urbano do Brasil oitocentista. A partir da análise de um conjunto de fontes recolhidas no acervo digital da biblioteca nacional procurou-se construir uma investigação que busque compreender as motivações subjetivas que levavam senhores e suas escravas a se relacionarem sexualmente as vezes incorrendo no crime de adultério que suscitou até processos crimes de suas mulheres contra esses senhores.Além disso a partir destes documentos transcritos buscaremos entender as formas de manifestação do poder senhorial sobre o corpo de seus escravos como uma maneira de manter o controle disciplinar entre seus cativos. É possível interpretar esses encontros sexuais de senhores e escravas como uma tática desses soberanos para exercerem um domínio cada vez mais intenso na vida dos seus subalternos na medida em que conseguiam através dessas práticas construir laços de solidariedade doméstica impedindo assim a fuga e a revolta dos dominados.
PALAVRAS-CHAVE: Sexualidade das escravas, disciplina, solidariede.


Autora: Ana Patrícia Pinheiro Feitosa
Lendas e assombrações na cidade de PIO IX/PI na segunda metade do século XX


A pesquisa tem como objetivo analisar o imaginário popular,trazendo ao conhecimento de todos lendas e histórias de assombrações contadas e criadas pelo povo dessa cidade.Propõe também procurar os significados dessas histórias e o que elas representam para a sociedade,como por exemplo,as lendas contadas nos intervalos das escolas como a da Big-loura,a do carro preto,a do Padre sem cabeça;e as contadas (ou inventadas) pelos jovens em noite de diversão,como a da Velha que aparece nas ruas da cidade para jovens embriagados e a da mulher com cabelo de fogo.O foco principal é saber até onde elas interferem na vida das pessoas.As fontes utilizadas serão:depoimentos (fontes orais),referências da internet e outros.


Autor: Dyego de Vasconcelos Feitosa
A educação e o Estado: a história de uma relação de poder


Em quase todos os países a educação é um dever do Estado e um direito de todos, sendo relativamente pequeno o número de pessoas que não tem acesso a uma vida escolar. A grande questão é que, ao longo dos tempos, a educação tem sido uma importante ferramenta política a serviço dos governantes, ou seja, o fator que determina o grau de formação de um povo é o interesse dos que estão no poder. Neste artigo, temos um panorama histórico das relações entre o Estado e a educação, visando estabelecer uma discussão sobre o papel da escola atual como transformadora da sociedade e não como uma simples fôrma política.


Autora: Adriana Silva da Fonseca
Espaço virtual e psicologia: uma reflexão interdisciplinar


Este artigo discute as relações sociais nas comunidades virtuais e a necessidade do psicólogo acompanhar os processos de subjetividade que são elaborados nesses espaços e que, conseqüentemente, se deslocam do mundo virtual alterando o comportamento do individuo no mundo real. Meu objetivo nesse artigo é discutir, a partir de uma pesquisa bibliográfica dos estudos sobre sociabilidade virtual, como se dá a construção da experiência subjetiva no mundo virtual e os novos desafios que essa experiência coloca para os profissionais da psicologia. A diversidade das práticas e códigos de conduta que se produzem nesse espaço extremamente complexo, no qual não é mais possível distinguir o que é realidade e o que é virtualidade, constitui um desafio para a psicologia contemporânea. Neste sentido, observa-se que a psicologia encontra-se relativamente lenta a esse intenso debate que se desenrola em várias áreas das ciências humanas, como nos estudos sociológicos e antropológicos, que servirão de base para nossa reflexão. Desse modo pretendemos contribuir para essa discussão da atuação do psicólogo no campo da constituição da subjetividade virtual através de uma abordagem interdisciplinar que possa sensibilizar o “olhar” do psicólogo para os sofrimentos humanos contemporâneos.


Autora: Elania Cavalcante Cunha
O eu puro como doador de sentido


O mundo aparece a nós com um sentido. Ao contrário do que muitos pensam principalmente os empiristas, esse sentido não é dado pelos objetos, pois estes não possuem “autonomia”. Os objetos têm o poder de afetar o nosso conhecimento ao passo que aparecem e afetam os nossos sentidos, mas automaticamente a eles é dado um sentido, de forma que aparecem para nós exatamente como aparecem para nós, pois é o Eu Puro que doa sentido ao objeto na medida em que ele o afeta. Portanto, os objetos não condicionam e sim são condicionados. Pelo ponto de partida da subjetividade o Eu puro, ou seja, o sujeito conhecedor, através do seu fluxo de vividos doa sentido ao mundo de forma que o conhecimento vem a ser afetado pelas vivências. O escopo do presente trabalho é analisar, pelo viés da subjetividade, o sentido com que o mundo nos aparece, tomando como expoentes os filósofos Husserl e Heidegger.


Autora: Sara Cavalcanti Moreira
MULHERES D’AS CARIDADES: UMA PÁGINA ESQUECIDA DA HISTORIOGRAFIA REGIONAL


O presente trabalho encontra-se em fase inicial, e objetiva aprofundar-se em um aspecto singular da atuação de mulheres conhecidas como Irmãs de Caridade que administraram e residiam na casa de Caridade de Padre Ibiapina na cidade do Crato, entre 1869 (ano de sua inauguração) e 1872 (ano em que a Casa foi entregue a Diocese de Fortaleza). Amparado por uma perspectiva historiográfica local e geral, realizamos um paralelo entre as dimensões educacional, religioso e profissional, com ênfase ao papel que a mulher enquanto agente principal de socialização pode desempenhar. Dessa forma tem-se a preocupação de analisar a relação da mulher e o contexto vigente em que ela assumia a identidade materna e cristã imposta pela sociedade e a Igreja, respectivamente. Teremos como elementos norteadores a lacuna existente na historiografia sobre a atuação dessas mulheres que ficaram a margem da história, assim como a relevância dos seus trabalhos no cumprimento das missões ibiapininas, principalmente no tocante à caridade, à educação (moral, religiosa e instrutiva) e à profissionalização.
Palavras-chave: Mulheres D’as Caridades. Identidade. Historiografia.


Autor: Allan Cruz Mesquita
O horror em sociedade: Ser discrininado por ser você


Aborda questões relativas à violência contra homossexuais numa perspectiva sócio-antropológica, mediada pela teoria das representações sociais, destacando os conceitos de violência, de reciprocidade, de alteridade, de ética e de negociação da realidade, a partir das representações sociais do homossexualismo e das implicações produzidas no contexto de exclusão social.
Palavras-chave: violência, homossexualismo, ética e exclusão social.