Inicio | Apresentação | Programação | Mini-Cursos | Oficinas |Simpósios Temáticos

Voltar


Simpósio Temático 15
Título: História, Culturas e Religiosidades
Proponentes: Prof. Ms. Océlio Teixeira de Souza – URCA

Resumos:

 

Autor: Cícero Everardo de Oliveira Alves
Análise sobre a origem dos juízos de valor bom e mau, bom e ruim na Genealogia da Moral de Friedrich Nietzsche


A problemática sobre a moral e sua influência na História constitui o cerne da nossa observação. Para tal análise, tomaremos a obra Para a Genealogia da Moral do Filósofo Friedrich Nietzsche, mais precisamente sua primeira e segunda dissertação. Por entendermos, pois, que tal obra é essencial ao pensamento nietzschiano, bem como os juizos aqui propostos - bom e mau, bom e ruim - iremos nos deter a uma análise sobre a origem desses juízos no intuito de, mais à frente, entender sua influência na cultura e na História.

Autores: Kássia Mota de Sousa; Joselina da Silva
Permanências e rupturas: Discentes praticantes do candomblé e suas relações na ambiência escolar

A história das religiões de matrizes africanas no Brasil está relacionada com o processo de trocas simbólicas e ensinamentos dos saberes, costumes e tradições dos povos africanos que aqui chegaram. No Brasil, aprovada a lei 10.639 que torna obrigatório o ensino da História e da Cultura Afro-brasileira nos ensinos fundamental e médio, fica uma pergunta: como as escolas tratam com os alunos pertencentes ao candomblé? Este trabalho se propõem a analisar as relações entre os discentes pertencentes a um terreiro da nação Keto e uma escola pública de ensino fundamental, ambos na cidade de Juazeiro do Norte – Ceará, Brasil. Este trabalho é parte integrante da pesquisa de mestrado, ora em andamento no âmbito da FACED/UFC.

Autor: Cícero Joaquim dos Santos; Dr. Gisafran Nazareno M. Jucá
O anúncio dos anjos na tradição oral: ritos fúnebres infantis na Cruz da Rufina

A pesquisa apresenta reflexões sobre os ritos fúnebres infantis que recobrem o espaço da Cruz da Rufina, localizada no município de Porteiras, no Cariri cearense. Erguida por volta do inicio do século XX, a referida cruz marcou a morte trágica da jovem Rufina e tornou-se, ao longo do século XX, um objeto de devoção popular. Também se transformou em um cemitério recoberto por práticas fúnebres que tomaram o “anjinho” como cerne de celebrações, revelando as atitudes sociais com a morte e os mortos. Esta pesquisa vem sendo desenvolvida a partir das reflexões da História oral, entendida como metodologia. Nesse caso, a tradição oral dos ritos fúnebres elucida o entendimento e as atitudes perante a morte e as relações entre o mundo terreno e celestial.

Autora: Simone Pereira da Silva
Representações e apropriações do reisado de congo no município de Barbalha (1970-1980)

Neste artigo, apresentamos algumas reflexões sobre as transformações ocorridas com o Reisado de Congo do município de Barbalha – CE, a partir de sua inserção como atrativo cultural na festa do padroeiro Santo Antônio, promovido pela administração local nas décadas de 1970 a 1980. Interessa no referido estudo, perceber como as experiências e representações dos sujeitos históricos, são construídas pelas relações sócio-econômicas. E que mudanças estas relações produziram na referida manifestação cultural e na vida dos integrantes do reisado de congo, a partir do momento em que foram convidados pelo poder público barbalhense para fazerem parte do desfile dos grupos de folguedos, responsável também, por atrair anualmente mais turistas para aquela cidade.

Autores: Rondinelle Saraiva Saturo; Josinete Lopes de Sousa
Relações de gênero e poder. O discurso religioso sobre o uso do corpo feminino no vilarejo de Graito na década de 50

O presente trabalho propõe analisar as relações de poder da Igreja Católica com as Mulheres em Granito, na década de 50. Faremos uma breve discussão das questões teórico metodológico que embasaram nossa pesquisa, pertinentes a problemática da história de gênero, a contribuição dada por Michel Foucault para a história do discurso, e suas analises dos Micropoderes. Os conceitos de táticas e estratégias formulados por Michel de Certeau. Discutiremos como a cultura popular manuseia o discurso estratégico Católico, modificando-o, jogando com o que lhe é imposto. Como fontes de pesquisa trataremos de usar os depoimentos das senhoras e senhores que somam 70 anos de idade e viveram em granito na época em questão, assim como os registros de batismo e livro de ata do antigo apostolado da oração, ambos se encontram na paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho nos tendo sido concedido acesso, bem como dos homens de igual idade para entrelaçarmos essas falas
e pô-las em conflito, na tentativa de capturar as falas ocultas na voz feminina. Buscaremos compreender os métodos utilizados pela Igreja pra disciplinarização das mulheres no vilarejo de Granito, como também suas praticas sociais e ritualísticas cotejando com o universo simbólico da religião católica. Numa concepção Foucaultiana de poder, analisaremos o poder em suas microestruturas, já que esta é a concepção de poder que estamos tratando, a partir da qual o discurso se relaciona com os sistemas de poderes que o fabricam, sendo a Igreja Católica uma instituição masculinizada formadora de saberes, e como tal produtora de poderes, produz um discurso regulador do comportamento feminino e estabelece uma conduta para a mulher em sociedade. O exercício da disciplina estratégica católica sobre a mulher atingi, dos afazeres de suas atividades corriqueiras, à constituição de suas práticas sociais e ritualísticas, até ao uso que deve fazer do seu próprio corpo, como as transgressões
e táticas, fugas, desobediência a imposição da cultura oficial.
Atentamos para as relações de gênero, onde a condição feminina da mulher a subordina ao homem, a priva de muitos entraves sociais só destinados ao homem, e ainda exige que sejam castas. Várias são as interdições previstas para a sexualidade feminina, o discurso que entrelaça este tecido social exige que elas sejam puras, honradas para cumprir com o que lhe fora predestinado, o casamento.

Autores: Maria Elaine Arraes Nascimento; Francisco Arraes Nascimento
O poder feminino nas manifestações religiosas do candomblé

O feminino no poder é uma característica comum nas religiões afro-brasileiras o que se apresenta como uma singularidade da mesma, diferenciando-as dos cultos religiosos ocidentais. Esse fato provoca estranhamento em nossos dias uma vez que as religiões dominantes na sociedade ocidentais moderna em sua maioria não admite uma mulher em uma posição de destaque ou superior aos cargos exercidos pelos homens. Imaginem nos séculos XVIII e XIX, quando mulheres negras surgem na Bahia como sacerdotisas centrais dos templos em uma expressão religiosa denominada Candomblé. Para explicar esse fato, esta pesquisa procurou elucidar a trajetória da mulher negra trazida da África para o Brasil, mostrando suas relações sócio-culturais-econômicas desde suas origens africanas ate a “aceitação” na sociedade brasileira.

Autor: Antonio de Queiroz Pereira
Relógio mecânico: a construção do tempo em Juazeiro do Norte da primeira metade do século XX.

A presente pesquisa tem como objetivo analisar as transformações na percepção e utilização do tempo, no que se refere ao desenvolvimento econômico e social da cidade de Juazeiro do Norte da primeira metade do século XX, traçando um paralelo entre algumas das diversas formas de abordagem e definições do tempo como controle, poder e status. Discutirei traços importantes entre permanências e transformações, percebendo sua relação recíproca na formação de um cotidiano marcado por uma religiosidade bastante arraigada e o compromisso com o desenvolvimento da cidade. Tudo isso, sem deixar de problematizar outros possíveis interesses e motivos que levaram a implantação da primeira fábrica de relógio mecânico de coluna do nordeste, criada a partir do caráter visionário e empreendedor do Padre Cícero juntamente com a inteligência e engenhosidade de Pelúsio Macedo. Procurarei destacar como, o Relógio Mecânico de Coluna, esse “símbolo do progresso”, foi utilizado para alavancar uma nova postura da comunidade de Juazeiro, em meio ao seu desenvolvimento socioeconômico. Esta comunicação ainda procura abordar, também, a problemática entre o moderno e o antigo, que se dá tanto no campo das idéias como do material, chegando atingir, até mesmo, pessoas e profissões. Para isso abordarei a experiência de vida de um relojoeiro mecânico de 70 anos conhecido como Seu Geraldo, que percebe laços estreitos entre o pioneirismo do Padre Cícero e seu oficio de mecânico do tempo. As fontes utilizadas são: livros e jornais relacionados ao advento da fábrica de Relógio Mecânico e bibliografia que dê um maior suporte para discutir os temas tempo e representações simbólicas e cotidiano. Além de entrevista realizada com Seu Geral.

Autora: Emmanuela Harakassara Rodrigues de Lima
Mito Universal (Complexo de Édipo)

Tentando entender a mitologia no contexto grego e comtemporâneo, trazendo para uma visão psicanalítica. O mito de Èdipo conhecido universalmente e usado pela psicanálise como Complexo de Èdipo. Tenta entender qual realmente é a função do mito, tanto na sociedade grega como comtemporânea, dando ênfase as relaço~es de conflito entre pais e filhos. E analisando que os mitos estão presentes em todas as culturas como uma forma de passar valores a uma sociedade.Na Grécia antiga os mitos eram tidos como formas de ensinamentos. O de Èdipo usado para educar e reprimir as pessoas ao incesto. A psicanálise o usa nos sonhos incestuosos ou sonhos de Edipo, colocando a cegueira de Èdipo como simbologia para a castração, ou seja, a criança tem medo de perder os seus genitais. Então ao desejar ou sonhar com sua mãe ele reprime esse desejo. E o reprimirá mais ainda por conta do pai que ele vê de forma inconsiente como um obstaculo para arealização de seu desejo. A tragédia Grega levanta uma problematica muito importante, que é comum em todas as sociedades humanas, que é o pavor ao incesto.

Autores: Helton Anderson Xavier de Souza; Edilberto Cavalcante Reis
Igreja católica e Maçonaria: a construção de um conflito (1800-1875)

A pretensão de nossa pesquisa é analisar a relação entre Igreja Católica e Maçonaria no século XIX, principalmente nos anos de 1872 – 1875, período em que ocorreu a “Questão dos Bispos”, embate entre clero católico e maçons. Para entender como este evento repercutiu no Ceará analisaremos dois jornais o “Tribuna católica” editado pela Igreja e o “Fraternidade” pela Maçonaria. Para situar a pesquisa no espaço e tempo, analisaremos como as idéias maçônicas foram introduzidas no Brasil e a relação destas com parte do clero, que desempenhou um papel importantíssimo na propagação do ideal maçônico. Teremos como referencial teórico Alexandre Mansur Barata (Maçonaria, Sociabilidade Ilustrada e Independência), Berenice Abreu (Intrépidos Romeiros do Progresso: Maçons Cearenses no Império), entre outros.
Palavras-chave: Igreja Católica – Conflito – Maçonaria

Autores: Cícero Sérgio Magalhães Tavares; Henrique Barbosa
“ Viva a mãe de Deus!” A festa de coroação da Imaculada Conceição em Porteiras-CE como elemento construtor da memória e identidade porteirense.

A região do cariri vem se tornando pólo de convergência para os sertanejos oriundos dos vários estados nordestinos por conta de suas características culturais e histórico-sociais, englobando um verdadeiro caldeirão de manifestações. Percebendo a importância desses elementos na construção da identidade caririense utilizando como objeto de estudo a Festa de Coroação da Imaculada Conceição, me proponho analisar, a partir dos relatos de memória dos moradores de Porteiras – CE, de que forma tal representação contribuiu para a construção da memória e identidade considerando o contexto do celeiro cultural em que esta se encontra. Observando ainda, quais os significados presentes na tessitura simbólica dessa trama e como eles foram construídos ao longo do tempo, vivendo a dialética da lembrança e do esquecimento. Essas e outras reflexões são postas em análise nesta pesquisa tendo em vista que a pós-modernidade também nos traz discursos sobre a identidade cultural face a uma cultura globalizante. Trabalharei com fontes orais e entrevistas e também estritas, como o livro de tombo da paróquia. Além destas fontes, utilizo livros referente às temáticas que estão presente nesta pesquisa que são, religiosidade popular, cultura, memória e identidade.